NÍVEL DE TREINAMENTO NA MUSCULAÇÃO: como classificar?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O nível ou status de treinamento na musculação é um fator determinante durante a prescrição e manipulação da intensidade, volume, seleção dos exercícios e demais variáveis do treinamento.

No entanto, tirando o tempo de experiência, não existem outros parâmetros de classificação descritos na literatura de forma clara, o que dificulta a prescrição do treinamento baseada no nível de treinamento do praticante.

Considerando esses fatores, nosso grupo (Santos-Junior et al., 2021) acaba de propor um modelo de classificação e determinação do nível de treinamento, que promete ser um “divisor de águas” para a área da prescrição.

Para isso, são utilizados 5 parâmetros:

  1. TEMPO ININTERRUPTO DE TREINAMENTO
  2. TEMPO DE DESTREINAMENTO
  3. TEMPO DE EXPERIÊNCIA PRÉVIA AO DESTREINAMENTO
  4. TÉCNICA DE EXECUÇÃO
  5. NÍVEIS DE FORÇA

E 4 níveis de treinamento baseados na média dos escores obtidos:

  1. INICIANTE
  2. INTERMEDIÁRIO
  3. AVANÇADO
  4. EXTREMAMENTE AVANÇADO

Conclusões:

  • Esse modelo representa um importante avanço para classificação do nível de treinamento na musculação.
  • Pode ser uma ferramenta útil na prescrição dentro das salas de musculação.
  • Pode ser útil para seleção e caracterização de amostras em estudos científicos.

Referências:

  • SANTOS JUNIOR, E. R. T.; SALLES, B. F.; DIAS I.; RIBEIRO, A. S.; SIMÃO, R.; WILLARDSON, J. M. Classification and determination model of resistance training status. STRENGTH AND CONDITIONING JOURNAL, 2021.

Belmiro Freitas de Salles

Belmiro Freitas de Salles

Pesquisador | Professor | Treinador
Professor Dr. Belmiro Freitas de Salles
Professor e Pesquisador 
Coordenador do STLab.com.br
Pós-Doutorado (UFRJ)
Doutor em Fisiopatologia Clínica e Experimental (UERJ)
Mestre em Educação Física (UFRJ)
Especialista em Musculação e Treinamento de Força (UGF)
Graduado em Educação Física (EEFD/UFRJ)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Outros Conteúdos

CADÊNCIA LENTA NA MUSCULAÇÃO?

Avalie este post Uma variável que é geralmente negligenciada pela ciência da musculação, assim como na prática, é a cadência, que pode influenciar inúmeros fatores

Assine a nossa Newsletter